Não plante pra colher, a fome chega todo dia

Nunca deixamos de ser o que não fomos. Os caminhos que abandonamos de certa forma nos acompanham por toda vida.

Tem dias que acordo bailarina, em outros piscológa, saiu vestida de aeromoça e vou dormir decorando salas… as frustrações são tão autênticas quanto as realizações, nos edificam e implodem, pouco a pouco durante a vida.

Sou o que fui mas também sou o que não fui… nada além do existir… existir de pele de corpo de coração… de ossos trincados e alma lavada, seca no sol de meio dia.

Sem dramas temos que existir nos três tempos: passado-presente-futuro…. Não plante pra colher. Plante e corra, o tempo não te espera e a fome chega todo dia.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s